Por uma Política Nacional de Educação Popular de Jovens e Adultos

Por uma Política Nacional de Educação Popular de Jovens e Adultos

Autor: Moacir Gadotti

Organização: Editora Moderna / Fundação Santillana

Ano: 2014

O diretor do Instituto Paulo Freire reflete sobre a falta de uma política efetiva para a EJA no Brasil

Moacir Gadotti recorda a todas e todos nós a necessidade de darmos concretude ao sonho de Paulo Freire por meio de uma política nacional de Educação popular de jovens e adultos.

A pergunta que Gadotti nos faz ao longo de todo o texto é esta: por que, apesar dos reconhecidos avanços no campo econômico e na Educação, ainda convivemos com taxas de analfabetismo tão altas em quase todo o nosso País? E a sua resposta é tão simples quanto evidente: falta vontade política. Falta uma real e consistente vontade política não só no Estado, como também em nossa sociedade.

Os analfabetos não dispõem de um sindicato que os represente. Eles não têm porta-voz. Eles necessitam do empenho, da solidariedade e do compromisso dos que foram alfabetizados e estão hoje situados dentro e fora de instituições de poder do Estado. O Brasil precisa de uma nova política nacional de alfabetização de jovens e de adultos que tenha a Educação popular como referência.